Professor

Minha foto
Garanhuns, Pernambuco, Brazil
• FORMAÇÃO ACADÊMICA. Instituição: UPE – CAMPUS GARANHUNS Curso: Licenciatura Plena em História (2007) Curso: Pós-Graduação Programação do Ensino de História (2009) >>>• EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL Período:12 anos ATUALMENTE: Escola Estadual Elisa Coelho & Escola Municipal José Brasileiro Vila Nova Disciplinas: História, Filosofia, Sociologia e Artes...

Total de visualizações de página

sábado, março 11

PAINEL EDUCATIVO 2017: 'Hecatombe de Garanhuns'. REALIZADO: Na Escola Municipal José Brasileiro Vila Nova

'Hecatombe de Garanhuns': chacina política com 18 mortos faz 100 anos



Dezoito pessoas mortas em uma cadeia pública. Este foi o resultado da tragédia que ficou conhecida como "Hecatombe de Garanhuns". Neste domingo (15), a chacina que vitimou políticos e comerciantes do município do Agreste de Pernambuco completa 100 anos. Ao G1, o coordenador da Comissão do Memorial Centenário da Hecatombe de Garanhuns, o professor Cláudio Gonçalves, afirma que o episódio foi uma das maiores tragédias políticas da história local.

Tudo começou em julho de 1916, quando houve eleição para prefeito de Garanhuns. O tenente-coronel Júlio Brasileiro e José da Rocha Carvalho disputavam a gestão municipal. "Júlio era deputado e Dr. Rocha era apoiado pelos antigos políticos que dominavam o município, que eram os Jardins. Essa eleição foi bastante tumultuada, com ameaças de surra de cipó de boi, listas negras ameaçando os adversários políticos, cruzes negras nas portas destes adversários", detalha o professor Cláudio.

O episódio de Hecatombe ficou marcado pela série de assassinatos, que teriam sido motivados pelo resultado da eleição de 7 de janeiro de 1917. Durante a campanha política, surgiu a figura do capitão Sales Vila Nova, que apoiava Rocha Carvalho. Como opositor político, o capitão matou a tiros o então prefeito eleito, Júlio Brasileiro - que não chegou a tomar posse, pois foi assassinado no dia 14 de janeiro daquele ano, no Recife.

As outras pessoas - aliadas de Rocha Carvalho - foram assassinadas dentro da Cadeia Pública de Garanhuns, após os correligionários de Júlio armarem uma emboscada para vingar a morte do prefeito eleito. Os documentos mostram que cerca de 18 pessoas foram mortas na unidade prisional.

terça-feira, março 7

O dia 8 de março - Dia Internacional da Mulher:Escola Estadual Elisa Coelho Escola Municipal José Brasileiro Vila Nova

O dia 8 de março - Dia Internacional da Mulher


Ao ser criada esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.

quinta-feira, novembro 24

Os Berberes - 8º ano "B" Esc De Aplicação Da Upe Campus Garanhuns...XV Momento Cultural 2016...

 Os bérberes eram povos nômades do deserto do Saara. Este povo enfrentava as tempestades de areia e a falta de água, para atravessar com suas caravanas este território, fazendo comércio. Costumavam comercializar diversos produtos, tais como: objetos de ouro e cobre, sal, artesanato, temperos,  vidro, plumas,  pedras preciosas, etc. 











quarta-feira, novembro 23

A Secretaria Estadual de Educação implantou em agosto uma novidade na área pedagógica




A Secretaria Estadual de Educação implantou em agosto uma novidade na área pedagógica: o Trabalho de Conclusão do Fundamental (TCF). O objetivo é despertar nos estudantes o interesse pela pesquisa, planejamento e investigação, a partir de algum tema que o grupo tenha vontade de saber mais, diagnosticar, intervir na realidade.
No dia 10 de novembro do ano corrente no auditório da UPE - Campus Garanhuns, um grupo de estudantes do 9° ano "A" da nossa escola divulgou sua pesquisa para diversos jovens e aplicou dinâmicas para criação do slogan do seu projeto, que tem como objetivo geral desenvolver uma campanha de conscientização sobre a realidade vivida por deficientes físicos, mostrando que todos nós temos direito à mobilidade! 
Parabéns, estudantes!
Bela iniciativa!

sexta-feira, novembro 18

Professores de Artes participam de formação continuada

Professores de Artes participam de formação continuada

Hoje (18) foi dia dos professores de Artes que atuam no Ensino Fundamental serem contemplados com formação continuada. Por meio de uma articulação entre GRE, através da Coordenação Geral de Desenvolvimento da Educação (CGDE), e a Gerência de Políticas Educacionais dos Anos Finais do Ensino Fundamental (GEPAF), a formação atendeu a 38 professores das escolas estaduais da região.

Entre mesas de discussões e debates, foram abordadas as principais concepções sobre a Arte e sobre o ensino da Arte no Brasil, apresentando a evolução dos paradigmas sobre o assunto e as novas abordagens que podem ser trabalhadas em sala de aula. Intercalando as discussões, foram apresentados os vídeos “Isso é Arte?” e “História do Ensino da Arte no Brasil”, como forma de fomentar o debate entre os participantes.

sexta-feira, novembro 11

O povo Bérbere: 8º Ano "B" - 2016 Aplicação

O povo Bérbere: 

Os bérberes eram povos nômades do deserto do Saara. Este povo enfrentava as tempestades de areia e a falta de água, para atravessar com suas caravanas este território, fazendo comércio. Costumavam comercializar diversos produtos, tais como: objetos de ouro e cobre, sal, artesanato, temperos,  vidro, plumas,  pedras preciosas, etc.
Costumavam parar em oásis para obter água, sombra e descansar. Utilizavam o camelo como principal meio de transporte, graças à resistência deste animal e de sua adaptação ao meio desértico. Durante as viagens, os bérberes levavam e traziam informações e aspectos culturais. Logo, eles foram de extrema importância para a troca cultural que ocorreu no norte do continente.

Os bantos

Este povo habitava o noroeste do continente, onde atualmente são os países Nigéria, Mali, Mauritânia e Camarões. Ao contrário dos bérberes, os bantos eram agricultores. Viviam também da caça e da pesca. Conhecia a metalurgia, fato que deu grande vantagem a este povo na conquista de povos vizinhos. Chegaram a formar um grande reino (reino do Congo) que dominava grande parte do noroeste do continente. Viviam em aldeias que era comandada por um chefe.
O rei banto, também conhecido como manicongo, cobrava impostos em forma de mercadorias e alimentos de todas as tribos que formavam seu reino. O manicongo gastava parte do que arrecadava com os impostos para manter um exército particular, que garantia sua proteção, e funcionários reais. Os habitantes do reino acreditavam que o manicongo possuía poderes sagrado se que influenciavam nas colheitas, guerras e saúde do povo.

Os soninkés e o Império de Gana

Os soninkés habitavam a região ao sul do deserto do Saara. Este povo estava organizado em tribos que constituíam um grande império. Este império era comandado por reis conhecidos como caia-maga.Viviam da criação de animais, da agricultura e da pesca. Habitavam uma região com grandes reservas de ouro. Extraíam o ouro para trocar por outros produtos com os povos do deserto (bérberes). A região de Gana, tornou-se com o tempo, uma área de intenso comércio.Os habitantes do império deviam pagar impostos para a nobreza, que era formada pelo caia-maga, seus parentes e amigos. Um exército poderoso fazia a proteção das terras e do comércio que era praticado na região. Além de pagar impostos, as aldeias deviam contribuir com soldados e lavradores, que trabalhavam nas terras da nobreza.


Costumes Do Marrocos

Casamento marroquino
O casamento no Marrocos , é algo extremamente diferente : o homem pode ter 4 esposas , mas a primeira esposa tem o direito de não querer que o marido só tenha ela de esposa e não é nem a mulher nem o homem que escolhem seus noivos , e sim os pais , ou os tios , muitas vezes acontece dos noivos só se conhecerem no dia do casamento , mas às vezes se conhecem antes . A cerimônia não é feita com os noivos juntos , o homem que vai se casar faz como se fosse um voto de confiança com o responsável pela noiva , enquanto isso , a noiva se arruma , e quando os dois dizem que aceitam se casar , a noiva entra , os dois dão uma volta no local em que está sendo a festa , depois sentam-se nas cadeiras e todos dançam , depois disso , eles levantam cada um em uma cadeira . Quando isso se acaba , os noivos tem a sua primeira noite com marido e mulher , os dois estão de roupa branca , o homem lava os pés da mulher e depois faz a reza à Alá , quando chega de manhã tem de provar a virgindade da mulher , caso isso não aconteça , a mulher é condenada a levar 100 chibatadas como traição .

As danças típicas do Marrocos


A dança do ventre é a dança específica do Marrocos , é dançada nas festas , e também é um divertimento nas casas , todas as mulheres de lá gostam de dançar dança do ventre , e quando dançam nas festas , tem que ter a saia muito longa , pois se a saia estiver com menos de 20 cm dá até mesmo cadeia é também comum a presença de véus de seda.

Roupas do Marrocos

As roupas no Marrocos tem uma característica : São vestidos mais longos , porque se usarem vestidos curtos elas são consideradas mulheres espetaculosas , e também é considerado um pecado(Haram) e também quando saem na rua , o vestido tem que ser mais longo ainda e sem mostrar os braços. Nas festas também os vestidos são compridos.Muitas delas usam a famosa burca.

Pulseiras do Marrocos
As pulseiras estilo marroquinas , tem uma característica muito forte : é uma pulseira comum sem a separação do anel , pois sempre ou vão ter pedras ou fios de metal ,etc . Não tem regra de cor , material ou utensílios que são colocados , exemplo : pedrinhas , pérolas , etc. Podem ser de ouro , prata , ou qualquer outro material.









O modo de comer e beber no Marrocos

No Marrocos , se come carne de carneiro, que é a carne mais consumida. Também é muito consumido o kibe crú, como o e outa comida muito comum é o couscous Quando eles estão à mesa , eles não comem com os talheres , como : garfo , faca e colher, eles comem com a mão, só que não é diretamente na comida, é com o pão, e o pão serve de talher. Quando estão comendo, há uma mesa bem mais baixa , que não fica à altura da cadeira, e sim bem abaixo. Também, tem as bebidas, muito comuns no Marrocos, como por exemplo chá e café. O chá é muito consumido. Em todas as refeições eles bebem o chá, e ainda depois das refeições eles tomam o chá. Eles tomam o chá no copo, então, eeles pegam o copo de uma maneira totalmente diferente.
As decorações no Marrocos

No Marrocos a presença dos tecidos nas casas é muito comum , eles utilizam exatamente como decoração , não só pendurados , mas também no teto da casa. Mas não só os tecidos que são ponto principal na decoração, também são os formatos das aberturas nas casas , ou seja , nas portas , ou em aberturas .
A religião muçulmana

O Marrocos tem uma única e exclusiva religião : A religião muçulmana. É uma religião muito dura e difícil de se seguir, tem que seguir o Alcorão, e respeitar , ex.: não comer carne de porco , ter 5 rezas ao dia , usar o véu e uma roupa longa , etc. E eles tem que se prostrar de joelhos e encostar a testa no chão , em frente à Mesquita. Eles tem que respeitar também o mês de Ramadã , que eles só comem no final do dia , isso também é do Alcorão.










"Ninguém nasce a odiar outra pessoa devido à cor da sua pele, ao seu passado ou religião. As pessoas aprendem a odiar, e, se o podem fazer, também podem ser ensinadas a amar, porque o amor é mais natural no coração humano do que o seu oposto.“
Nelson Mandela