Professor

Minha foto
Garanhuns, Pernambuco, Brazil
• FORMAÇÃO ACADÊMICA. Instituição: UPE – CAMPUS GARANHUNS Curso: Licenciatura Plena em História (2007) Curso: Pós-Graduação Programação do Ensino de História (2009) >>>• EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL Período:12 anos ATUALMENTE: Escola Estadual Elisa Coelho & Escola Municipal José Brasileiro Vila Nova Disciplinas: História, Filosofia, Sociologia e Artes...

Total de visualizações de página

quinta-feira, julho 16

Só copiar não adianta, diz professor; Veja dicas para fazer um bom resumo

Rayder Bragon
Do UOL, em Belo Horizonte
 Ouvir texto
 
0:00
 Imprimir Comunicar erro
  • Flavio Florido/UOL
O resumo, segundo professores ouvidos pelo UOL, é uma técnica que ajuda na compreensão e na interpretação de textos e livros e, consequentemente, serve como auxílio no aprendizado.
No entanto, os especialistas fazem uma ressalva: não se deve apenas copiar os tópicos mais relevantes, sem tentar compreendê-los.
"Muitas vezes, as pessoas têm a ideia de que o resumo é apenas copiar passagens do livro ou do texto, como uma mera diminuição do tamanho do texto. A simples cópia não garante a compreensão", afirmou o professor Francisco de Assis Assunção, que leciona português no colégio Pitágoras, em Belo Horizonte.
Para ele, o resumo pode ser um aliado no aprendizado. "Se o aluno é bem orientando para selecionar as informações e tem autonomia para usar as suas próprias palavras para fazê-lo, e não fazer uma mera cópia, eu acho que é uma técnica válida", diz.
Juliana Romagnoli, professora de português e redação no Colégio Marista Dom Silvério, também situado na capital mineira, disse que o resumo permite ao alunocompilar informações mais relevantes de um texto.
"O resumo é um gênero textual interessante para a otimização de estudos e pesquisas, uma vez que permite ao estudante reconhecer a importância das técnicas de fichamento, com particular atenção à elaboração de tópicos esquemáticos e conceituais, de modo a sintetizar aspectos significativos de um texto" afirmou.
Para Daniella Lopes Dias Ignácio Rodrigues, integrante do programa de pós-graduação da PUC-MG (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais), o resumo permite ao estudante entender todas as fases de um texto.
"O registro da leitura de um dado texto por meio do resumo pode permite ao leitor compreendê-lo em toda sua plenitude: como o texto inicia-se, como desenvolve-se e como termina; no caso dos textos argumentativos, por exemplo, é possível perceber quais as teses defendidas pelo autor quais argumentos ele apresenta a favor de sua proposição" disse

Especialista desmitifica: não precisa saber tudo para passar no vestibular

Bruna Souza Cruz
Do UOL, em São Paulo
  • Divulgação
Foco e disciplina são duas coisas que todo vestibulando precisa ter durante os estudos. Agora, acreditar que é preciso saber todo o conteúdo escolar para conseguir passar no vestibular é um verdadeiro mito, segundo o psiquiatra Celso Lopes de Souza.
Para o especialista, a crença de que "eu preciso saber de tudo para passar" é uma grande armadilha para o cérebro e, consequentemente, para o bom desempenho na prova.  
"Estudos mostram que o processamento do nosso cérebro depende de uma rede de aprendizado que temos: o consciente. Então, quanto mais apropriada a crença, mais assertiva ela será. Por isso, é melhor o candidato estudar e fazer a prova com a consciência de que ele não sabe de tudo. Se ele valorizar apenas o que sabe e focar seus esforços nisso, o desempenho será muito melhor", explica o Dr. Celso, que também é autor e professor do cursinho Anglo.
"Se ele [vestibulando] faz esse pareamento [que precisa saber de tudo], ele vai seguir por dois caminhos: o do exagero, onde ele vai estudar demais e aí vai chegar lá em setembro completamente acabado. Ou o desânimo, pois ele não vai dar conta de tudo e sempre vai achar que deveria saber mais", acrescenta.

Visão em filtro

O professor Celso também alerta que o vestibulando precisa tomar cuidado com a chamada visão em filtro durante sua preparação. Em resumo, é aquele momento em que o estudante não consegue fazer um exercício de matemática e ele começa a acreditar que não sabe mais nada da matéria ou ainda quando ele olha o colega do lado fazendo um exercício mais rápido que ele e o desânimo o consome.
"Acho que se eu tivesse que resumir uma orientação é que o candidato tem que se cobrar uma atitude e não um resultado", ressalta.

quinta-feira, julho 2

VIDA - por Augusto Branco

VIDA - por Augusto Branco

VIDA 

Já perdoei erros quase imperdoáveis,
tentei substituir pessoas insubstituíveis
e esquecer pessoas inesquecíveis.

Já fiz coisas por impulso,
já me decepcionei com pessoas
que eu nunca pensei que iriam me decepcionar,
mas também já decepcionei alguém.

Já abracei pra proteger,
já dei risada quando não podia,
fiz amigos eternos,
e amigos que eu nunca mais vi.

Amei e fui amado,
mas também já fui rejeitado,
fui amado e não amei.

Já gritei e pulei de tanta felicidade,
já vivi de amor e fiz juras eternas,
e quebrei a cara muitas vezes!

Já chorei ouvindo música e vendo fotos,
já liguei só para escutar uma voz,
me apaixonei por um sorriso,
já pensei que fosse morrer de tanta saudade
e tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo).

Mas vivi!

E ainda vivo!

Não passo pela vida.

E você também não deveria passar!

Viva!!

Bom mesmo é ir à luta com determinação,
abraçar a vida com paixão,
perder com classe
e vencer com ousadia,
porque o mundo pertence a quem se atreve 
e a vida é muito para ser insignificante. 


Augusto Branco 


Augusto Branco é autor do livro ‘VIDA: Já perdoei erros quase imperdoáveis’ , entre outros.


Leia mais no Jornal Varginha Hoje: VIDA - por Augusto Branco - Jornal Varginha Hoje http://www.jornalvarginhahoje.com.br/2012/01/vida-por-augusto-branco.html#ixzz3emIG5jhy