Professor

Minha foto
Garanhuns, Pernambuco, Brazil
• FORMAÇÃO ACADÊMICA. Instituição: UPE – CAMPUS GARANHUNS Curso: Licenciatura Plena em História (2007) Curso: Pós-Graduação Programação do Ensino de História (2009) >>>• EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL Período:12 anos ATUALMENTE: Escola Estadual Elisa Coelho & Escola Municipal José Brasileiro Vila Nova Disciplinas: História, Filosofia, Sociologia e Artes...

Total de visualizações de página

quarta-feira, julho 23

Rubem Alves - O papel do professor


O que é educar?

É completar o corpo inventando a nossa maneira de ser. 
Por isso a educação não pode ser transmissão de ferramentas já sabidas, mas criação que desenvolve a faculdade do pensar
- “Se fossemos completos Beethoven nunca teria feito a Nona Sinfonia. Ele a fez porque tinha um buraco dentro dele que doía muito. E o jeito que encontrou de curar a dor dentro do corpo foi compondo a Nona Sinfonia”
- Existe uma dor chamada curiosidade. Que Rubem Alves denomina coceira é o Bicho de pé do pensamento.

quinta-feira, junho 26

CADA UM TEM SEUS SABERES..

Cada ser humano é constituído de saberes que somente a ele lhe pertencem, resultantes de vários fatores, várias experiências...
Não nos cabe ficar comparando-os, mas sim alegrar-se pelos saberes alheios, aprender com aqueles que estão ao nosso lado, aprimorando dessa forma os nossos conhecimentos, pois conforme o provérbio chinês:

"Se dois homens vêm andando por uma estrada, cada um carregando um pão, e, ao se encontrarem, eles trocam os pães, cada homem vai embora com um.
Porém, se dois homens vêm andando por uma estrada cada um carregando uma ideia, e, ao se encontrarem, eles trocam as ideias, cada homem vai embora com duas".

Dedico este vídeo a todos professores.kkkkkkkkkkkk

Dedico este vídeo a todos professores.kkkkkkkkkkkk

Grato! Que o reconhecimento como professor vem do trabalho em Sala de aula.

Comissão de Formatura da Turma da educação de Jovens e Adultos – EJA Médio
Escola Simôa Gomes de Garanhuns
Grato! Que o reconhecimento como professor vem do trabalho em Sala de aula.


quarta-feira, maio 21

Poema de agora: Recomeçar (Carlos Drummond de Andrade)


RECOMEÇAR

Não importa onde você parou…
em que momento da vida você cansou…
o que importa é que sempre é possível e
necessário “Recomeçar”.

Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo…
é renovar as esperanças na vida e o mais importante…
acreditar em você de novo.
Sofreu muito nesse período?
foi aprendizado…
Chorou muito?
foi limpeza da alma…

Ficou com raiva das pessoas?
foi para perdoá-las um dia…

Sentiu-se só por diversas vezes?
é porque fechaste a porta até para os anjos…
Acreditou que tudo estava perdido?
era o início da tua melhora…
Pois é…agora é hora de reiniciar…de pensar na luz…
de encontrar prazer nas coisas simples de novo.
Que tal
Um corte de cabelo arrojado…diferente?
Um novo curso…ou aquele velho desejo de aprender a
pintar…desenhar…dominar o computador…
ou qualquer outra coisa…

Olha quanto desafio…quanta coisa nova nesse mundão de meu Deus te
esperando.

Tá se sentindo sozinho?
besteira…tem tanta gente que você afastou com o
seu “período de isolamento”…
tem tanta gente esperando apenas um sorriso teu
para “chegar” perto de você.

Quando nos trancamos na tristeza…
nem nós mesmos nos suportamos…
ficamos horríveis…
o mal humor vai comendo nosso fígado…
até a boca fica amarga.
Recomeçar…hoje é um bom dia para começar novos
desafios.
Onde você quer chegar? ir alto…sonhe alto… queira o
melhor do melhor… queira coisas boas para a vida… pensando assim
trazemos prá nós aquilo que desejamos… se pensamos pequeno…
coisas pequenas teremos…
já se desejarmos fortemente o melhor e principalmente
lutarmos pelo melhor…
o melhor vai se instalar na nossa vida.
E é hoje o dia da faxina mental…
joga fora tudo que te prende ao passado… ao mundinho
de coisas tristes…
fotos…peças de roupa, papel de bala…ingressos de
cinema, bilhetes de viagens… e toda aquela tranqueira que guardamos
quando nos julgamos apaixonados… jogue tudo fora… mas principalmente… esvazie seu coração… fique pronto para a vida… para um novo amor… Lembre-se somos apaixonáveis… somos sempre capazes de amar muitas e muitas vezes… afinal de contas… Nós somos o “Amor”…
” Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do
tamanho da minha altura.”

Carlos Drummond de Andrade.

quarta-feira, maio 7

VIVENDO E APRENDENDO. Cada um com sua função na Educação. Professor seu lugar é em sala de aula

VIVENDO E APRENDENDO. Cada um com sua função na Educação. Professor seu lugar é em sala de aula 
Cada macaco no seu galho é uma expressão que aconselha ou rebate que cada pessoa exerça sua atribuição, sem se meter no que não deve. A expressão “Cada um na sua” é usada em situações idênticas, para delimitar as atribuições de cada indivíduo, sem permitir intromissões.

VESTÍGIOS DOS HOMENS PRÉ-HISTÓRICOS ELABORADO PELA 5º SÉRIE - 2014 - Pré-história - ESCOLA VEREADOR AFONSO BEZERRA - 2014

ESCOLA VEREADOR AFONSO BEZERRA - 2014
 CIDADE DE VENTUROSA - PE (DISTRITO DO TARÁ)
PROFESSOR ORIENTADOR WALBER QUEIROZ
ELABORADO PELO ALUNOS DA 5º SÉRIE TURNO DA TARDE
Vestígios deixados pelos homens pré-históricos brasileiros
Existem atualmente vários sítios arqueológicos pré-históricos sendo estudados no Brasil. Os mais importantes ficam no interior do Piauí, na região de São Raimundo Nonato. Pesquisas coordenadas pela arqueóloga Niède Guidon, resultaram na descoberta de ossos de animais pré-históricos, artefatos de cerâmica, fragmentos de fogueira, machados de pedra e, principalmente, milhares de pinturas rupestres.
Os sambaquis, também conhecidos como concheiros, são excelentes fontes para o estudo da vida pré-histórica brasileira no litoral brasileiro. Os sambaquis foram formados durantes milhares de anos, através do acúmulo de conchas e resíduos descartados pelos homens. Entre uma camada e outra de conchas, encontram-se artefatos, ossos e diversos tipos de objetos pré-históricos de diferentes grupos humanos que habitaram uma mesma região. 
Outro importante sítio arqueológico brasileiro fica na Caverna da Pedra Pintada, localizada no município de Monte Alegre (margem do rio Amazonas). Pesquisas realizadas na década de 1990 revelaram a vida de grupos humanos pré-históricos que habitaram a região por volta de 11 mil anos atrás. No local foram encontrados vestígios de fogueiras, pedaços de objetos de cerâmica, pinturas rupestres e pontas de lanças de pedras. 

domingo, abril 13

7 Dicas para dar aulas melhores

Júlio Clebsch

1 - Incite, não informe
Uma boa aula não termina em silêncio, ou com os alunos olhando para o relógio. Ela termina com ação concreta. Antes de preparar cada aula, pergunte-se o que você quer que seus alunos aprendam e façam e como você os convence disso?
Olhe em volta, descubra o que pessoas, nas mais diferentes profissões, fazem para conseguir a atenção dos outros. Por exemplo, ao fazer um resumo de uma matéria, não coloque um "título"; imagine-se um repórter e coloque uma manchete. Como aquela matéria seria colocada em um jornal ou revista? Use o espírito das manchetes, não seja literal, nem tente ser um professor do tipo:
Folha: Números Primos encontrados no congresso. 68% dos outros algarismos são contra.
IstoÉ: Denúncia: A conta secreta de Maurício de Nassau. Fernando Henrique poderia estar envolvido, se já fosse nascido.
Zero Hora: O Mar Morto não fica no Rio Grande do Sul. Apesar disso, você precisa conhecê-lo.
Caras: Ferro diz que relacionamento com oxigênio está corroído: "Gás Nobre coisa nenhuma".
2 - Conheça o ambiente
Você nunca vai conseguir a atenção de uma sala sem a conhecer. Onde moram os alunos e como eles vivem - quem vem de um bairro humilde de periferia não tem nada a ver com um morador de condomínio fechado, apesar de, geograficamente, serem vizinhos. Quais informações eles tiveram em classes anteriores, quais seus interesses. Mesmo nas primeiras séries cada pessoa tem suas preferências e o grupo assume determinada personalidade.
3 - No final das contas (e no começo também)
As partes mais importantes de uma aula são os primeiros 30 e os últimos 15 segundos. Todo o resto, infelizmente, pode ser esquecido se você cometer um erro nesses momentos.
Os primeiros 30 segundos (principalmente das primeiras aulas do ano ou semestre) são um festival de conceituação e de cálculo dos discentes. Mesmo inconscientemente, eles respondem às seguintes questões:
  • Quem é esse professor? Qual seu estilo? 
  • O que posso esperar dessa aula hoje e durante todo o ano? 
  • Quanto da minha atenção eu vou dedicar? 
E isso, muitas vezes, sem que você tenha aberto a boca.
4 - Simplifique
Você certamente já presenciou esse fenômeno em algumas palestras: elas acabam meia hora antes do final. Ou seja, o apresentador fala o que tinha que falar, e passa o resto do tempo enrolando. Ou então, pior, gasta metade da apresentação com piadas, truques de mágica, histórias pessoais que levam às lágrimas, "compre meu livro" e aparentados, e o assunto, em si, é só apresentado no final - se isso.
Por isso, uma das regras de ouro de uma boa aula é - simplifique, tanto na linguagem como na escrita. Caso real: reunião de condomínio na praia, uma senhora reclamava que sua TV não funcionava direito.
Explicaram-lhe que era necessário sintonizar em UHF. Ela então perguntou para quê a diferença entre UHF e VHF. Um vizinho prestativo passou a discorrer sobre diferenças na recepção, como uma transmissão poderia interferir na outra, nas características geográficas... Ela continuava com aquela cara de quem não entendia nada. Até que um garoto resumiu a questão em cinco letras:
"AM e FM."
"Ahhh, entendi."
Escrever e falar da maneira mais simples possível não significa suavizar a matéria ou deixar de mencionar conceitos potencialmente "espinhosos". Use e abuse de exemplos e analogias. Divida a informação em blocos curtos, para que seja melhor assimilada.
5 - Ponha emoção
Certo, você tem PhD naquela área, pesquisou o assunto por meses a fio, foi convidado para dar aulas em faculdades européias. Mesmo assim, seus alunos podem não prestar atenção em você. Segundo estudos, o impacto de uma aula é feito de:
  • 55% estímulos visuais - como você se apresenta, anda e gesticula; 
  • 38% estímulos vocais - como você fala, sua entonação e timbre; 
  • e apenas 7% de conteúdo verbal - o assunto sobre o qual você fala. 
Apoiar-se somente na matéria é uma forma garantida de falar para a parede, já que grande parte dos alunos estará prestando atenção em outra coisa. Treine seus gestos, conte histórias, movimente-se com naturalidade. Passe sua mensagem de forma intererssante.
Para o bem e para o mal, você dá aula para a geração videoclipe. Pessoas que foram criadas em frente aos mais criativos comerciais, em que videogames mostram realidades fantásticas. Entretanto, a tecnologia deve ser encarada como aliada, e não inimiga - apresentações multimídia, aparelhos de som, videocassetes - tudo isso pode ser usado como apoio à sua aula.
6 - A pedra no sapato
Pode ser a bagunça da turma do fundão. No ensino médio e superior, pode ser aquele aluno que duvida de tudo o que você diz pelo simples prazer de duvidar. Ou pode até ser um livro esquecido, ou computador que resolve não funcionar.
De qualquer maneira, grande parte do sucesso de sua aula depende de como você lida com esses inesperados. Responda a uma pergunta de maneira rude ou desinteressada, e você perderá qualquer simpatia que a classe poderia ter por você. Seja educado e solícito - a pior coisa que pode acontecer a um professor é perder a calma.
A razão é cultural e muito simples: tendemos sempre a torcer pelo mais fraco. Neste caso, seu aluno. A classe inteira tomará partido dele, não importa quem tenha a razão.
Se um discípulo fizer um comentário rude, repita o que ele disse e fique em silêncio por alguns instantes - são grandes as chances de ele se arrepender e pedir desculpas. Se for preciso, diga algo como "Estou pensando no que você disse. Podemos falar sobre isso após a aula?" Outra forma de se lidar com a situação é responder a questão na hora, ponderadamente - e para toda a classe, não apenas para quem perguntou. Termine sua exposição fazendo contato visual com outro aluno qualquer, por duas razões - a expressão dele vai lhe dizer o que a turma inteira achou do que você disse, ao mesmo tempo que desistimula outras participações inoportunas do aluno que o interrogou.
Não transforme sua aula em um debate entre você e um aluno - há pelo menos mais 20 e tantas pessoas presentes que merecem sua atenção.
7 - Pratique
Sua aula, como qualquer outra ação, melhora com o treino. Muitos professores se inteiram da matéria, e só treinam a aula uma vez - exatamente quando ela é dada, na frente dos alunos. Não é de se admirar que aconteçam tantos problemas com o ritmo - alguns tópicos são apresentados de maneira arrastada, outras vezes o professor termina o que tem a dizer 20 minutos antes do final da aula. Sem falar nos finais de semestre em que se "corre" com a matéria.
Só há uma maneira de evitar tais desastres. Treine antes. Dê uma aula em casa para seu cônjuge/filhos ou, na falta desses, para o espelho. Não use animais de estimação, são péssimos alunos - seu cachorro gosta de tudo o que você faz e os gatos têm suas próprias prioridades, indecifráveis para as outras espécies. E o que se busca com o treino é,principalmente, uma crítica construtiva.
Fonte: www.profissaomestre.com.br, no canal EM FOCO

quarta-feira, março 26

Xibom Bombom, por Karl Marx


Ah, os anos 90... época de verdadeiras músicas de protesto, onde os artistas tinham coragem de expor a sua opinião política, seu descontentamento com o mundo e seus idéias revolucionários. Época de artistas corajosos e não essa viadagem colorida atual.

As Meninas, grupo que abalou as estruturas do Planeta Xuxa nos anos 90, foi o maior exemplo da classe de artistas intelectualmente desenvolvidos e com músicas que contestavam o establishment.

Muitos podem falar que o Chico Buarque é o maior representante dessa classe. Muitos que não tem noção de história, obviamente. Chico Buarque não atingiu as massas do jeito que As Meninas atingiu. Chico Buarque nunca tocou no Domingo Legal, nunca foi no Planeta Xuxa, nunca nem sequer tocou em um trio elétrico. Bom xi bom bombom jogou o comunismo para o povão.

Aliás, Chico Buarque já fez uma música para Karl Marx? As Meninas fizeram! Xibom Bombom é um manifesto, praticamente um O Capital em ritmo de axé.



Bom xibom, xibom, bombom!

Bom xibom, xibom, bombom!
Bom xibom, xibom, bombom!
Bom xibom, xibom, bombom!
Pura onomatopéia? Sim, superficialmente. Mas no fundo é uma crítica ferrenha as sociedades capitalistas, baseada em pensamentos de Marx, que não aceitava separação entre o real e o abstrato, já que isso são apenas abstrações mentais analíticas. Ou seja, um refrão onomatopéico iria divertir o povo e ao mesmo tempo adentrar a mente humana.
Analisando
Essa cadeia hereditária
Quero me livrar
Dessa situação precária...(2x)
Revolução! Era isso que As Meninas pregavam. Marx já dizia que a revolução tem que ser necessariamente sangrenta, já que o Estado nunca iria abrir mão da sua condição de oprimir o povo. Esse povo que analisa a sua cadeia hereditária, os seus antepassados, seus pais e não enxerga nenhuma mudança na sua condição de reles manobra de movimento dos governos. Essa massa revoltada quer se livrar dessa situação precária e sabe que a revolução e o socialismo são as únicas saídas contra o poder político.

Onde o rico cada vez
Fica mais rico
E o pobre cada vez
Fica mais pobre
E o motivo todo mundo
Já conhece
É que o de cima sobe
E o de baixo desce
E o motivo todo mundo
Já conhece
É que o de cima sobe
E o de baixo desce...
Nesse trecho As Meninas citam claramente a teoria da Mais-valia de Karl Marx, em que o sistema capitalista trabalha apenas para obter lucros. E esses lucros ficam sempre nas mãos de poucos, os proprietários das fábricas, das empresas. O empregado fica sempre renegado a uma mínima parcela dos lucros em cima dos produtos que ele mesmo produz. Sendo assim, o rico sempre fica cada vez mais rico e o pobre cada vez mais podre. Isso só aumenta a luta de classes, fazendo com que o de cima sempre suba enquanto o de baixo sempre desça, gerando conflitos sociais. Xibom Bombom é uma chamada para refletir sobre essa posição.
Bom xibom, xibom, bombom!
Bom xibom, xibom, bombom!
Bom xibom, xibom, bombom!
Bom xibom, xibom, bombom!
Mas eu só quero
Educar meus filhos
Tornar um cidadão
Com muita dignidade
Eu quero viver bem
Quero me alimentar
Com a grana que eu ganho
Não dá nem prá melar
Educação, civilidade, bem estar, alimentação digna e salário justo. As bases todas do socialismo estão explícitas nesses versos. É uma transcrição do Manifesto Comunista cuspido e escarrado.
Essa música reúne em poucos parágrafos uma quantidade enorme de informações sobre filosofia, história, sociologia, ciência política, antropologia, psicologia, economia, e comunicação. Tudo isso esfregado na cara da população brasileira todo domingo na televisão. Uma crítica escancarada à nossa sociedade podre. Era como se Stalin tivesse nascido na Bahia e cantasse axé. Um marco na música de protesto nacional. Carla Cristina, uma revolucionária!

Pagode Filosófico, por: @ChicoCabron

FONTE: http://pagodefilosofico.blogspot.com.br/2010/09/normal-0-21-false-false-false.html

terça-feira, março 18

O QUE OS LIVROS ESCOLARES DE HISTÓRIA NÃO CONTAM: A legião negra em 1932 ou coisas que seu livro de história não conta...

A legião negra em 1932 ou coisas que seu livro de história não conta.


Em nossa história há diversas distorções, ou melhor, em nossos livros de história. Dentre tantos heróis brancos, retratados e valorizados por seus feitos e sua devoção ao país, coincidentemente boa parte dos esquecidos tem a mesma cor. Durante minha época de escola, uma de minhas atividades aos finais de semana era buscar ícones negros em cada passagem que a escola me obrigava a estudar, em uma destas buscas em Bibliotecas públicas e posteriormente no inicio da internet popular, tomei conhecimento desta história. Os Soldados da Legião Negra, foram nossos Avôs/Avós/bisavôs/bisavós que lutaram nesta guerra representando o povo negro, infelizmente temos um histórico de esquecimento de todas as páginas que valorizam nossos antepassados na história brasileira, é como o funk Buia diz - o leão não escreve, então quem conta a história é o caçador . Então achei bacana compartilhar isso, pois no dia 9 de julho é feriado em São Paulo e esta parte mais uma vez não será lembrada.
segue abaixo uma nota do jornal a Gazeta sobre estes homens e mulheres afrodecendentes que serviram a causa.
Os homens de cor e a causa sagrada do Brasil
Os patriotas pretos estão se arregimentando - Já seguiram vários batalhões - O entusiasmo na Chácara Carvalho - Exercícios dia e noite - As mulheres de cor dedicam-se à grande causa. Também
os negros de todos os Estados, que vivem em São Paulo, quando o clarim vibrou chamando para a defesa da causa sagrada os brasileiros dignos, formaram logo na linha de frente das tropas constitucionalistas. A epopéia gloriosa de Henrique Dias vai ser revivida na luta contra a ditadura. Patriotas, fortes e confiantes
na grandeza do ideal por que se batem São Paulo e Mato Grosso, os negros, sob a direção do Dr. Joaquim Guaraná Sant´Anna, tenente Arlindo, do Corpo de Bombeiro, tenente Ivo e outros, uniram-se, formando batalhões que, adestrados no manejo das armas e na disciplina vão levar, nas trincheiras extremas, desprendidos e leais, a sua bravura, conscientes de que se batem pela grandeza do Brasil que seus irmãos de raça, Rebouças, Patrocínio, Gama e outros muitos tanto dignificaram. Os nossos irmãos de cor, cujos ancestrais ajudaram a formar este Brasil grandioso, entrelaçando os pavilhões auri-verde e Paulista, garbosos, ao som dos hinos e marchas militares, seguem cheios de fé, ao nosso lado, ao lado de todos os brasileiros que levantaram alto a bandeira do ideal da constitucionalização, para a cruzada cívica, sagrada, da união de todos os Estados sob o lábaro sacrossanto da pátria estremecida.
(Jornal A Gazeta, 23 de Julho de 1932)
conte para seus irmãos, filhos, netos e amigos.

O QUE OS LIVROS ESCOLARES DE HISTÓRIA NÃO CONTAM: Delmiro Gouveia Industrial brasileiro Biografia de Delmiro Gouveia:


Delmiro Gouveia (1863-1917) foi um industrial brasileiro. Pioneiro pela instalação de uma fábrica nacional independente no Nordeste brasileiro. A Fábrica de Linhas Estrela era um modelo para a época. Explorou o potencial energético da Cachoeira de Paulo Afonso com a construção da primeira usina hidrelétrica do Brasil.
Delmiro Gouveia (1863-1917) nasceu na Fazenda Boa Vista, em Ipu, Ceará, no dia 5 de junho de 1863. Filho de Delmiro Porfírio de Farias e Leonilda Flora da Cruz Gouveia. Seu pai foi como voluntário lutar a Guerra do Paraguai e não mais voltou. Sua mãe vai para o Recife onde liga-se afetivamente ao advogado Meira Vasconcelos, seu patrão. Em 1878, Delmiro fica órfão e com quinze anos arranja seu primeiro emprego, como condutor e bilheteiro do bonde que ia de Apipucos para o Recife. Em 1881, trabalha como caixeiro. Em 22 de agosto de 1883, casa-se com a filha do tabelião da cidade de Pesqueira, interior de Pernambuco, Anunciada Candida (Iaiá), com apenas treze anos de idade.
Delmiro volta com a esposa para o Recife. Insatisfeito com o rendimento de seu trabalho, resolve mudar novamente de profissão. Entra para o comércio de couro. Em 1889, passa a trabalhar para o americano John Sanford, intermediário de um cortume da Filadélfia, que se instalou no Recife. Delmiro desenvolveu seu inglês e se tornou o melhor empregado do americano. Em 1892, assume a gerência da filial, mas a empresa não atinge o lucro esperado e termina fechando. Delmiro vai para Filadélfia, adquire as instalações do escritório e em 1895, volta como patrão. Mais uma vez a empresa fecha as portas.
Em 1898, instala um Mercado Modelo no terreno comprado ao Derby Club. Uma área de 129 metros de comprimento, 264 boxes com balcão de mármore. Delmiro manda erguer um palacete perto do mercado e vai ali morar. Na época, o poder político em Pernambuco estava nas mãos de Rosa e Silva, vice-presidente da República. Desligado dos políticos dominantes, Delmiro era visto como ameaça aos grandes interesses agrícolas. Constantemente tinhas suas mercadorias apreendidas. Delmiro Gouveia recebe ameaça de morte e no dia 2 de janeiro de 1900, seu mercado é incendiado e reduzido a cinzas. Delmiro é preso, por ter agredido o vice-presidente. No dia seguinte um habeas corpus restitui sua liberdade.
Em 1901, Iaiá abandona o palacete do Derby e retorna a casa dos pais, em Pesqueira. Delmiro volta ao comércio de couro e constitui nova firma a Iona & Krause. No dia 21 de setembro de 1902, foge com uma jovem menor de idade e se escondem na Usina Beltrão. No dia 2 de outubro a jovem é resgatada pela polícia e Delmiro foge num vapor e desembarca em Penedo, Alagoas. Com poucos recursos Delmiro inicia a construção de um império. Manda buscar a jovem que havia raptado, Carmélia Eulina do Amaral Gusmão. Com ela tem três filhos, Noêmia (1904), Noé (1905) e Maria (1907). Sua firma prospera, a Estação da Pedra transforma-se num grande entreposto comercial de peles de bode e carneiro.
Delmiro Gouveia parte para o próximo passo, a exploração do potencial energético da Cachoeira de Paulo Afonso. Foram dois anos de trabalho intenso e em 1913, é inaugurada a primeira Usina Hidrelétrica do Brasil. No dia 5 de junho, sua fábrica inicia a produção de fios e linhas Estrela. Em pouco tempo exportava para o Peru e Chile. Foram abertas estradas, construída uma vila operária, escolas e seus funcionários recebiam vários benefícios. A Fábrica de Linhas Estrela era um modelo para a época.
O poderio econômico de Delmiro estava ameaçado pela Machine Cottons, poderosa fábrica inglesa. Operando no mesmo ramo da Fábrica Estrela, propôs a Delmiro a compra de suas instalações. Ameaçado também pelos "coronéis" que exploravam as terras sem benefícios para a coletividade. No dia 10 de outubro de 1917, às 8h30 da noite, Delmiro Augusto da Cruz Gouveia estava em frente ao seu chalé, perto da Fábrica da Pedra, quando foi assassinado com três tiros.
FONTE: www.e-biografias.net/delmiro_gouveia/

Vejam: no Brasil do Século 21, a expressão “rabo-preso” não é mais utilizada. O correto é dizer “governabilidade”. Aprendam.

Quais cuidados tomar
- Observe a cultura da organização e se ela incentiva a amizade entre colegas ou não;
- Separe os papéis de amigo e de colega de trabalho, principalmente quando a relação é de chefe e subordinado;
- Lide com a relação de forma transparente, para que os colegas saibam que há uma relação pessoal entre vocês;
- Evite o isolamento e as panelinhas. Relacione-se amigavelmente também com outras pessoas;
- Guarde sigilo sobre informações que não possam ser divulgadas;
- Não divida tudo o que acontece em sua vida pessoal no ambiente profissional;
- Se precisar fazer uma crítica sobre o colega que é amigo, faça de forma reservada, mesmo que vocês tenham intimidade;
- Evite conversas em excesso durante o trabalho, seja pessoalmente, por e-mail ou programas de mensagens instantâneas;
- Seja imparcial nas decisões. Não cobre nem mais nem menos do amigo do que dos demais;
- Evite a fofoca. Sempre que tiver algo a dizer, fale diretamente com a pessoa;
- Se houver um desentendimento de cunho pessoal, ele deve ser discutido fora do trabalho.
Fonte: Uol

Sabe de nada... INOCENTE!


segunda-feira, março 10

Fantástico mostra abandono em escolas públicas de estados com menores médias no Pisa

Bem que falei e falo... Isso é a realidade das escolas públicas de Alagoas, Pernambuco e Maranhão. 



O resultado mostra o abandono do ensino público no Brasil. São escolas sem banheiro e até sem sala de aula.

domingo, março 9

Professor tem a obrigação de saber tudo aquilo que é perguntado pra ele sobre algum fato?




Claro que não! É admirável um professor que tem a habilidade de guardar numerosas informações históricas, mas é essencial que ele saiba trabalhar com o que tem em mãos e orientar aos alunos como encontrar a informação de que precisam quando não souber responder à pergunta deles. É também interessante que, quando houver uma pergunta cuja resposta é desconhecida pelo professor, ele pesquise e procure se informar, para que ao encontrar com o aluno novamente, forneça-lhe a informação que conseguiu. Isso aumentará a credibilidade do professor quanto ao seu trabalho. 

Para um aluno o mais importante é entender que ninguém sabe tudo, mas que todos são capazes de fazer o melhor com aquilo que tem. 

sábado, fevereiro 15

Use os quizzes na sala de aula...


Ponto de partida

Quizzes disponíveis no UOL Educação, organizados de três formas: listagem dos mais atuais; ordem alfabética; área temática.

Objetivos

1) Disponibilizar um apoio didático interativo para a abordagem de diferentes temas relacionados ao conteúdo de sua disciplina.
2) Despertar o interesse do aluno pelo tema que será estudado.
3) Checar conhecimentos preexistentes.
4) Fornecer mais informações sobre assuntos já trabalhados em sala de aula.
5) Incentivar pesquisas sobre temas discutidos em sala, indicando fontes confiáveis.

Estratégias

1) O primeiro passo é você, professor, conhecer os quizzes UOL, que são atualizados com frequência e abrangem diferentes áreas de sua disciplina. Por exemplo:
  • Florestas: Onde se localiza a maior floresta tropical do mundo?
  • Vênus: Que formações geológicas são comuns em Vênus?
  • Cordilheira dos Andes: Que cidade da Cordilheira dos Andes foi a antiga capital do Império Inca?
  • África portuguesa: Que país africano de língua portuguesa tem 2,5 mil quilômetros de praias no Oceano Índico?
  • Água: Que regiões do planeta são atualmente as mais atingidas pela escassez de água?
  • Continentes: Na história da formação dos continentes, o que significa a Pangeia?
2) O ideal é você selecionar o quiz que seus alunos devem responder e definir se o recurso será usado para introdução do tema a ser estudado ou para checagem de conhecimentos pós-estudo.
3) Após efetuar o quiz, o resultado é fornecido automaticamente, bem como uma relação de links relacionados ao tema trabalhado. O ideal é discutir os resultados obtidos por seus alunos de forma coletiva, tirando dúvidas e, depois, incentivando-os a aprofundarem os conhecimentos visitando os links fornecidos. Esse conteúdo extra também pode ser compartilhado e discutido em classe.

Atividades

Caso você utilize o quiz como introdução ao assunto a ser estudado, os alunos podem ir direto para o teste selecionado por você e, após terem o resultado, discutirem em grupo o que acertaram ou erraram, o que conheciam sobre o tema e o que descobriram no teste. Essa será uma boa introdução para sua aula explanatória. Mais tarde, os alunos podem voltar ao quiz e ampliar os estudos nos links relacionados.
Agora, se a opção é pela checagem do aprendizado, você pode usar o quiz no fechamento do estudo, discutir os resultados obtidos, verificar as dúvidas que persistiram - por meio dos acertos e erros da turma - e, ainda, usando os links fornecidos e outros indicados por você ou descobertos pelos alunos, recomendar pesquisas complementares.

Sugestão

Faça do quiz um momento de interatividade em sua aula, uma forma de atrair a atenção e incentivar a participação do seu aluno. Para isso é importante, a cada quiz proposto, abrir espaço para discussão e troca de experiências.

O que um professor de EJA precisa saber?

  • Valorizar os conhecimentos do aluno, ouvir suas experiências e suposições e relacionar essa sabedoria aos conceitos teóricos.
  • Dialogar sempre, com linguagem e tratamento adequado ao público.
  • Perguntar o que os estudantes sabem sobre o conteúdo e a opinião deles a respeito dos temas antes de abordá-los cientificamente. Dessa forma, o educador mostra que eles sabem, mesmo sem se dar conta disso.
  • Compreender que educar jovens e adultos é um ato político e, para isso, ele deve saber estimular o exercício da cidadania.
Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/edicoes/0168/aberto/mt_176159.shtml

sábado, fevereiro 1

Parabéns aos meus ex-alunos que conquistaram aprovações nos vestibulares ... ...(Prof Walber Queiroz)


Hoje é um grande dia, para você e também para todos nós, que acompanhamos toda sua trajetória e esforço para chegar até aqui.

É dia de comemorar a conquista de alguém que com muita garra e determinação inicia uma nova caminhada...
É o fim de longos dias de vestibular; fim de duros dias de insônia, ansiedade e incerteza... E o início da preparação para uma carreira brilhante!
Sua aprovação não foi por sorte, nem por acaso. É o resultado de muito esforço, empregado em sua busca incansável pela realização de um sonho. Após este muitos outros virão, os quais temos certeza que serão igualmente realizados e comemorados, com a mesma força e entusiasmo que são próprios de você.
O orgulho e a admiração que sentimos são infinitamente maiores que estas palavras e uma simbólica faixa de Parabéns, assim como a alegria que parece não caber em nossos sorrisos e lágrimas de emoção...
Parabéns pelo vestibular, e tudo de bom que há neste mundo para a nova etapa que se inicia em sua vida...
Rumo ao sucesso, sempre! (Prof Walber Queiroz)

segunda-feira, janeiro 27

Como se tornar uma pessoa zen...

Ser "zen" não significa ser um indivíduo desligado da sintonia materialista. No entanto, a prática da autodisciplina e o exercício da percepção intuitiva, não-racional, do sentido da vida e de seus fenômenos, não pode faltar na busca da qualidade de vida através de um melhor nível de autoconhecimento pela expansão da consciência. 

Nesse sentido, técnicas de meditação budista e o processo de reforma íntima proposto pelo espiritismo, são opções seguras de se atingir um estado zen, sem prejuízo à vida ativa na sociedade moderna. 

A começar pela consciente posição de sempre "estar na sua", que absolutamente significa egoísmo e, sim, uma forma de proteger-se e perceber a dinâmica do cotidiano da vida através de uma visão mais apurada de suas mazelas. 

Quando nos encontramos com a mente limpa de impurezas e vigilantes em relação aos nossos atos, não nos deixamos envolver em situações que possam nos desarmonizar. Toda forma de maledicência são dardos venenosos, que se lançados pela boca ou através de ações, retornam em forma de energia negativa que nos atinge inapelavelmente. 

Se buscamos conscientemente a paz interior, precisamos perseverar na autovigilância. A reforma interior exige-nos gradual "assepsia" de pensamentos. A mente e o corpo são como a casa que após muito tempo fechada, necessita da entrada do ar e da luz solar para que as impurezas acumuladas se dissipem... 

Não se deixar envolver por energias negativas é o primeiro passo para quem deseja alterar a sua própria energia, mantendo-a estável e saudável. Manter a autovigilância é o segundo passo, mesmo que possamos parecer aos olhos dos outros, uma pessoa "sempre na dela". 

À medida que exercitamos essa filosofia de vida no cotidiano, damos impulso ao processo de reforma interior, ou íntima como se referem os espíritas. E reformar-se íntimamente é aceitar valores éticos, morais e espirituais como norteadores da caminhada ao encontro de seu verdadeiro eu. 

O estado zen requer uma mudança de atitude diante da vida. Atitude fundamentada no respeito a si mesmo, ao semelhante e a toda forma de vida que divide conosco esse imenso espaço físico chamado Terra.